quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Existe um limite entre ajudar o outro e ferir a si mesmo?





Me sinto como um pequeno grão de areia em meio ao universo hospitalar...


O mundo não é feito apenas de ciência e medicina e espero, de coração, que as pessoas se lembrem disso!


Convivo com a dura realidade da doença e da morte todos os dias e percebo, cada vez mais, que as pessoas precisam de amor, sensibilidade, humanização...

Só preciso saber o que fazer com o dilema entre "viver arrasada" e ao mesmo tempo ter a "sensação do dever cumprido"...


Estou tão perdida!!!


 Será que existe um meio termo?

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Oi minha querida amiga...
    Consigo entender o que voce expoe, e consigo imaginar-te nessa situaçao.

    Vc é mt intensa, é sensivel é humana e (que bom)nao é perfeita.

    Meio termo é mt singular, cada um tem sua medida, que nao é a certa mas a que suporta, a que estabiliza, a que consegue caminhar livre. Sendo assim, qd olhamos o meio termo dos outros podemos perder o nosso..

    E descobrir o (nosso) meio termo é descobrir o qt cada situaçao nos toca, o qt a suportamos, onde nos estabilizamos, quando me sinto melhor..

    E quem tem essa resposta, se nao nòs mesmos?

    Em algumas situaçoes eu descobri que meu meio termo é estar mais de cà que de là, em outras mais de la que de ca. Meu meio termo nunca foi meio poque tb vou de cabeça, porque nao sei estar pela metade...

    Beijos minha querida..e, infelizmente, te deixo talvez na mesma posiçao...mas agora, pelo menos, sabendo que tem amigos que ficarao onde vc conseguir estar..bjss te admiro

    ResponderExcluir
  3. LInda, que recado mais gostoso de ler..me trouxe paz e mais segurança..muito obrigada!=) Saudade demais!Beijos!

    ResponderExcluir
  4. é amiga...somos humanos e nós sofremos com o sofrimento alheio...Mas é tão bom saber que mesmo com muito pouco podemos fazer algo...muitas vezes, fazemos mais por nós mesmos do que pelas pessoas, as histórias mudam nossos conceitos e nos fazem aprender tanto...É tanto valor de vida que se dá, depois que se vê problemas tão grandes!! É ou não é?? O brabo é a injustiça...a crueldade...essa mata!!!


    "É uma luta sem fim, não conseguiremos consertar o mundo, mas vale a pena poder mudar a vida de alguns, isto já valerá os esforços!" Marta Naufal Arruda

    ResponderExcluir
  5. Falou tudo, amiga!=)AMO VC!Muita saudade!

    ResponderExcluir
  6. Agora quer já deve estar bem «entrosada» no novo curso, que foi a minha primeira predilecção, desejo-lhe as maiores venturas e um futuro ainda melhor do que o actual para consguir «viver o mundo»

    http://psicologiaparaque.wordpress.com/2011/09/26/resposta-a-um-outro-comentario/

    http://psicologiaparaque.wordpress.com/2011/09/26/psicanalise/

    Mário de Noronha

    ResponderExcluir

Prezados leitores do blog "Era uma vez...", por favor evitem comentar como "anônimo", pois gosto de responder às pessoas que apreciam o meu trabalho. Se puderem deixar o e-mail, fico agradecida. Um abraço e voltem sempre!